Blog

24 Fevereiro, 2020
Alergia no Carnaval: Saiba como proteger os olhos
por Clínica Oftalmológica | Saúde Ocular

A conjuntivite víral e bacteriana são muito comuns no Carnaval pelo maior contacto físico das pessoas nos desfiles de rua, bares ou discotecas e pela partilha de maquilhagem. “Maquilhagem é igual à escova dos dentes”. Cada pessoa deve ter a sua. A flora bacteriana é diferente entre as pessoas. Por isso a partilha de maquilhagem dos olhos causa contaminação.

Maquilhagem, produtos com Glitter ou purpurina e o contacto das pálpebras com a cola dos cílios postiços são importantes veículos de conjuntivite alérgica. O uso de cosméticos em crianças, pode desencadear alergia crónica. Isto porque, na infância os olhos e o sistema imunológico estão em desenvolvimento. Dessa forma, o recomendado é usar a maquilhagem após os 10-12 anos de idade.

Os sintomas comuns aos três tipos de conjuntivite são: comichão, lacrimejamento, sensibilidade à luz, pálpebras inchadas e olhos vermelhos. A diferença, é que na víral os olhos apresentam um secreção viscosa, na bacteriana a secreção é purulenta e na alérgica a secreção é aquosa, além da comichão ser mais intensa.

Prevenção é a melhor medida!

· Lavar as mãos com frequência
· Evitar coçar os olhos.
· Não partilhar maquilhagem ou colírios
· Retirar a maquilhagem ou cílios postiços em caso de comichão, e lavar os olhos abundantemente com água.
· Limpar o suor ao redor dos olhos com lenço descartável para evitar a penetração de cosméticos.
· Aplicar compressas de água fria quando a secreção for transparente e morna quando for amarelada.

Não desaparecendo os sintoma deve procurar um oftalmologista.

0 comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

© 2019 Clínica Oftalmológica Dr. Avelino Resende | Política de Privacidade

Desenvolvido por O Carapau Criativo, 2020