Blog

13 Junho, 2022
Protetor solar pode prejudicar os seus olhos
por Clínica Oftalmológica | Conselhos

É evidente que é preciso se proteger do sol durante o verão. Contudo, quando exageramos ao passar o protetor solar no rosto, sobretudo em redor dos olhos, podemos provocar irritação e infecção ocular. O protetor solar é uma substância que, assim como a maquilhagem, pode ocasionar uma conjuntivite tóxica. Ela acontece quando as mucosas oculares entram em contacto com o produto.

Cerca de 45 % dos casos de conjuntivite tóxica no verão são causados pelo protetor solar, cerca de 40% pelo bronzeador e 15% pela maquilhagem.

A conjuntivite é a doença ocular mais comum do verão, sendo 20% dos casos do tipo tóxica ou alérgica.

A do tipo tóxica não é transmissível e se a pessoa não tem histórico de alergias, ela pode desaparecer até mesmo com compressas frias.

O primeiro sintoma da conjuntivite tóxica é o ardor ocular. A seguir temos os olhos vermelhos, comichão, fotofobia, lacrimejo e pálpebras inchadas.

Recordar sempre que normalmente este tipo de conjuntivite acontece porque resíduos como restos de maquilhagem e protetor solar penetram nos olhos.

Uma forma de identificar qual o tipo de conjuntivite é através da secreção. Na bacteriana a secreção é purulenta. Na viral é transparente e viscosa. Na tóxica, é transparente e aquosa.

Prevenção

  • Para prevenir, deve-se evitar o uso excessivo de protetor solar, cremes e maquilhagens, sobretudo ao redor dos olhos, bem como usar lenços descartáveis para limpar o suor nessa zona.
  • Deve-se lavar os olhos abundantemente em caso de contacto com algum desses produtos.
  • Proteger a região dos olhos com óculos sol que tenha filtro UVA e UVB, no qual garante um melhor resultado do que passar protetor solar em excesso nessa área.
  • Lavar o rosto e as mãos com frequência evita que ao coçarmos os olhos, eles se infetem.
  • Não partilhar objetos pessoais ou toalhas de rosto e colírios.
  • Quando a doença (problema) já está instalada, a recomendação é interromper por completo o uso do agente causador. Se depois de dois dias sem usar o produto os sintomas persistirem, é importante consultar um médico oftalmologista, pois na falta de cuidados, pode haver sequelas na visão.

Outra indicação importante é para quando for escolher o protetor solar. Os filtros solares com PH neutro são os mais seguros. É importante verificar a presença de óxido de zinco e dióxido de titânio no produto. Essas substâncias são muito comuns em produtos infantis e garantem a neutralidade do PH.

Tratamento

O tratamento da conjuntivite tóxica, é feito através de colírios anti-inflamatórios, antialérgicos e lágrimas artificiais. A única medida que o paciente pode tomar sozinho é lavar os olhos com muita água em caso de contágio por protetor solar nos olhos.

Todos os outros procedimentos e receitas devem ser feitos com a orientação de um médico oftalmologista.

0 comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

© 2022 Clínica Oftalmológica Dr. Avelino Resende | Política de Privacidade

Desenvolvido por O Carapau Criativo