Obstrução da Canal Lacrimal

INÍCIO / especialidades / vias-lacrimais / obstrucao-da-canal-lacrimal

O que é

A lagrima produzida tanto pelo olho e como pela glândula lacrimal segue ao longo do bordo palpebral superior e inferior, entrando pelos canalículos lacrimais respetivos por capilaridade e por sucção, com a ajuda do pestanejo. Ao chegar ao saco lacrimal por obstrução ou outro motivo, a lagrima acumula-se.

É importante excluir um glaucoma congénito num bebé com lacrimejo e em cerca 90% dos casos se resolvem no primeiro ano de vida.

Tratamento

...dacriocistorrinostomia

Perguntas Frequentes

Pode estar associada a varias causas como lacrimejo excessivo (conjuntivite ou lesão corneana por exemplo), compromisso da drenagem lacrimal (ectrópio dos pontos lacrimais, obstrução lacrimal por exemplo), corpo estranho ocular, triquíase ou dificuldade em ver (defeito refrativo).

A permeabilização completa do canal lacrimo-nasal só se produz habitualmente pouco depois do nascimento.

A epífora afeta cerca de 20% dos recém-nascidos (resolve-se espontaneamente em cerca de 95% dos casos ao fim de 2 anos).

Esta associada clinicamente a epífora e as pestanas coladas com secreção conjuntival, constantes ou relacionadas episodicamente com infeção do aparelho respiratório superior.

O refluxo é evidente de material purulento pelo ponto lacrimal, após pressão sobre o saco lacrimal.

Deve de fazer massagem diariamente do canal lacrimo-nasal, porque assim aumenta a pressão hidrostática, podendo, deste modo, romper a obstrução a nível da membrana e dessa forma a obstrução.

Pode fazer até 10 vezes em 4 ocasiões durante o dia.

Após a massagem, deve ser sempre feita higiene palpebral e se indicado a seguir colocar antibiótico tópico dentro do olho.

Estenose idiopática (mais frequente)
Traumatismos nasorbitários
Infeção palpebral
Conjuntivite
Medicamentos
Doença granulomatosa
Infiltração por tumores nasofaríngeos
Radiação

A sondagem pode ser atrasada até aos 12 meses de idade, altura em que a epífora se resolveu em 95% dos casos.

A sondagem feita nos 2 primeiros anos de vida tem uma taxa de êxito muito elevada, mas depois a eficácia diminui.

A sondagem deve ser feita sob anestesia geral e através do ponto lacrimal superior, cujo objetivo é romper a membrana que esta obstruída. Depois da sondagem, deve ser feita uma irrigação com soro fisiológico e fluoresceína (confirma o sucesso da sondagem).

É uma imperfuração congénita, habitualmente membranosa, localizada preferencialmente na porção final do canal lacrimo-nasal (válvula de Hasner).

A sintomatologia inicia-se com lacrimejo constante a partir das primeiras semanas de vida e secreção mucopurulenta, conjuntivite de repetição de predomínio unilateral.

Perguntas Não Frequentes

É doença rara, causada habitualmente pelo Actinomyces (bactéria gram+), unilateral, na maioria dos casos sem causas predisponentes.

Sinais de conjuntivite mucopurulenta crónica associada, com secreção mucopurulenta após expressão sobre o canalículo lacrimal e inflamação pericanalicular.

Corresponde a uma obstrução inflamatória do sistema lacrimal que pode precipitar a formação de um dacriólito e metaplasia do epitélio do saco lacrimal.

Pode ocorrer em qualquer localização do sistema lacrimal, representando 5-20% das estenoses do canal lacrimo-nasal.
Os sinais clínicos de litíase são presença de secreção mucopurulenta e a permeabilidade das vias lacrimais, com a irrigação, epífora frequente e dacriocistite aguda recorrente.

É uma infeção aguda do saco lacrimal, habitualmente secundaria à obstrução do canal lacrimo-nasal.

Existe sob duas formas, aguda e crónica.

Corresponde a uma infeção do saco lacrimal de inicio subagudo, com dor, epífora, eritema e edema da zona correspondente ao saco lacrimal.

Desenvolve-se por resistência ao escoamento das lágrimas, resultado de estenose, litíase, edema ou presença de corpos estranhos.

Pode associar-se a celulite pré-septal e nos casos mais graves pode formar-se um abcesso e fistulizar para a pele.

Deve ser tratado com antibióticos orais e cirurgia (se abcesso).

Consiste num estreitamento ou oclusão do canal lacrimo-nasal, com inflamação crónica.

Clinicamente observa-se sinais de epífora, secreção mucopurulenta e conjuntivite crónica e recorrente.

Ocasionalmente observa-se abcesso e fistula cutânea.

Tratamento é apenas cirúrgico

Corresponde a uma coleção de liquido amniótico ou muco no saco lacrimal causada por uma válvula de Hasner imperfurada.

Tratamento conservador e sondagem se necessário.

Exame que é usado para avaliar a permeabilidade das vias lacrimais, identificando casos clínicos de pessoas com queixas de epífora.

Permite detetar obstruções totais, parciais, divertículos, tumores, fistulas e defeitos das vias lacrimais.

Envolve a injeção de corante radiopaco nos canalículos e a obtenção de imagens, confirmando ou não o local da obstrução.

Dacriocistite aguda

Se o local da obstrução tiver sido já identificado.

© 2019 Clínica Oftalmológica Dr. Avelino Resende | Política de Privacidade

Desenvolvido por O Carapau Criativo, 2019